Linguagem[+]

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

MAIS UMA SEÇÃO DA SESSÃO DO SILÊNCIO DO SOM DE CEM SONETOS

Catlaea - orquídea - ocorrência Ilha de Santa Catarina - web


MINHA AMANTE CATLAEA
Autor: Laerte Sílvio Tavares 
A orquídea cor de rosa me fascina.
Parece insinuar-se como gente,
A me fitar com ar tão envolvente
Que se assemelha a uma dama divina.

Amar a catlaea é minha sina!
Está na minha alma, está na mente,
Está no coração, como se um ente
Humano e fêmeo ou uma doutrina.

Oh flor sanguínea, entidade viva
Que me excita, me envolve e cativa,
Por que teu órgão fêmeo é amarelo?

Se fosse cor de carne, a relativa
Correspondência sexual passiva
Seria concupiscente o teu labelo.



Borboleta rosada - web

SOBREVOAR-ME-ÁS 
Autor: Laerte Sílvio Tavares 
Falou um dia um botão de rosa
A uma lagarta verde que o media:
Não me devores. Assim certo dia
Poderei ser tua flor maravilhosa.

Bem sei, disse a lagarta com ironia...
Estou fazendo apenas, uma tosa
Para que abras ainda mais formosa:
Uma deusa do céu, assim diria!

Muito obrigado! Disse-lhe o botão.
Eu, rosa do céu? Serei do chão
Igual a tantas flores do planeta.

Mas tu, por força de uma simbiose
É quem será, pela metamorfose,
Uma dama do céu, oh borboleta!


Fernando Pessoa - web

O POETA É UM SONHADOR
Autor: Laerte Sílvio Tavares 
O poeta às vezes mente
Por crer na própria mentira.
Fala em musa, fala em lira,
Qual fantasia da mente.

Mente tanto que não sente
Que mentiu, pois tem em mira
A emoção, e isso tira
Sua culpa; é inocente

Porque mente sem maldade!
Quando a paixão o invade,
Conduz-lhe ao doído pranto

E dele a inspiração emana.
O poeta é a mais humana
Das criaturas! É um santo!