Linguagem[+]

segunda-feira, 22 de maio de 2017

MEU PENSAMENTO




Lá se foi meu pensamento
Pelos desvãos do caminho!
Porém, não fiquei sozinho,
Chegou outro no momento,
Correndo na asa do vento
E sai imediatamente.
Quando não, pois, de repente,
Ficar só, já não consigo,
Vários vêm a ter comigo

Transitando e indo à frente.

Meu pensamento transita
Com Helena por Portugal;
Ou em país virtual
De um astro que não se habita.
E pressinto, logo após
O meu pensar bem veloz
Indo à Áustria, a Berlim...
Retorna a rezar em Roma
Quando minha alma se toma
Por feliz, a orar assim.

Porém, no mundo mundano,
O meu pensar, soberano,
Vira apenas carne e instinto
Como um animal faminto
Feito de um só sentimento
Entre sexo e paixão
Sem freio - foge à razão.
Mas imediatamente
Retomo o meu pensamento
A ter a alma e a mente.

A mente é tudo no ser!
Somos o que a mente é
E nos tornamos, com fé,
O que nós queremos ser.
Não por destino; por crer
Que podemos ir além
Do que somos, pois se tem
Que usar alma e razão.
Pensar é transformação:
Pensemos só para o bem!

sábado, 13 de maio de 2017

MÃE

imagem web
 Dia das Mães é um dia de comemoração antiga e de abrangência quase universal, que ocorre desde as priscas Roma e Grécia. No Brasil, diferentemente de outros lugares, a data comemorativa estabelecida por decreto, ficou sendo o segundo domingo de maio. Eu cá, creio que dia das mães são todos os dias, por elas serem o esteio, núcleo e foco no convívio familiar. Além disso, existem mães que são mães, tias que são mães, avós que são mães, irmãs que são mães e até mesmo pais, que são mães, mas que não os poderemos contar como tal por não terem dado luz às crias tidas. Porém, havendo tantas parentes mães, no universo familiar e social, a figura da mãe torna-se preponderante na balança das atenções de uma sociedade ou nação. Por essas e outras razões é que deixo aqui minha homenagem com três poeminhas a elas com os meus cumprimentos efusivos, evocando à Virgem de Fátima, coincidentemente homenageada nesta época, para que derrame suas graças e bênçãos sobre todas as mães e que sejam muito felizes.
       

MÃE

Quando Deus criou o mundo
Sentiu um vazio profundo
Por não haver poesia.
E para existir tal arte
Faz o homem, dele cria
A mulher musa e reparte
Com ela, luz que procria.

E surge  a mãe criadora
Que é poesia e que fora
Concebida como um ente
A ser extensão de Deus,  
Perpetuando a semente
Em humanos filhos Seus
 Por amor e eternamente.

Ser mãe é ser luz eterna
Qual pequenina lanterna
A iluminar com esplendor  
Enorme, e sua luz irradia
Com raios de muito amor,
Esperança e poesia,
De raríssimo esplendor.

Dia das Mães é de luz,
Maior que outros, e  induz
O amor n’alma e coração
De filho reconhecido
Para a tal consagração
Do mortal ser, no sentido
Da luz à procriação.


MINHA MÃE!...

Mãe que não rima com nada
Era de rimar com tudo
E até na boca do mudo
Ouço-a pronunciada.

Palavrinha idolatrada
Pequena, enorme, e contudo,
Mais forte que um escudo,
Mais fraca que água parada.

Mãe, mamãe ou mãezinha
O nome é uma ladainha
Repetida ao mundo inteiro.

Eu, como perdi a minha,
A lembrança que eu a tinha
Encontro-a no travesseiro.




MULHER


POEMA PUBLICADO EM REVISTA DIGITAL – “ANTOLOGIA  EXTRAORDINÁRIA  NA FÉNIX – “MULHERES PELA PAZ” – MARÇO – AUSBURG ( ALEMANHA)”.


Com a lâmpada do sonho incandescida,
A donzela procura o próprio brilho,
E o reflexo de si espelha um filho
Como imagem a eternizar a vida.

Ânsias augustas, afagos à lida
De trilhar sob a luz do antigo trilho
Que trilhou sua mãe, como estribilho
De uma trilha da avó, já percorrida.

Lindo dom de ser mãe, eternizando
Essa luz que dá luz, e apaga quando
Outra luz se acender à luz futura.

E ser mãe é dar luz em brilho brando
Como estrela de um céu só seu, brilhando
 Por criar a criante criatura.